A reação do público não tem sido a que você espera? Confira quais fatores podem estar atrapalhando suas apresentações!

Oi, Speaker!

Quando a reação do público não é a esperada, alguns speakers simplesmente passam a repetir para si mesmos que “não sabem falar em público” ou que não nasceram com esse “dom”.

Se você segue nossas publicações, provavelmente já leu, em alguma delas, o quanto faço questão de frisar que saber falar bem em público NÃO é um dom, mas, sim, uma habilidade, uma competência. Na verdade, a maioria das coisas que as pessoas pensam ser resultado de um “talento nato” é, na prática, a consequência de muito esforço, dedicação e prática.

Portanto, caso as suas apresentações em público não estejam tendo o resultado que você espera, isso não significa, de maneira alguma, que você não saiba falar em público ou não possa se tornar um excelente comunicador. O que esse resultado insatisfatório mostra é que há algum ou alguns fatores prejudicando a sua fala e a sua performance e que, por isso mesmo, você precisa lapidar a forma como se prepara para situações de exposição de fala.

Mas quais podem ser esses fatores? É o que veremos na nossa conversa de hoje aqui no blog. Confira!

– Você não consegue controlar a ansiedade e o nervosismo

A ansiedade e o nervosismo – resumidos, muitas vezes, como o “medo de falar em público” – têm consequências diretas na sua performance nos palcos, mesmo que você não as perceba.

A primeira delas é minar a sua autoconfiança! A autoconfiança é imprescindível em uma situação de exposição de fala, afinal, apenas com ela você pode transmitir uma imagem segura e confiável para o seu público.

Felizmente, o medo de falar em público é algo que pode ser trabalhado. Como? Com a prática e a busca por conhecimentos que te deem uma base para agir em situações de exposição de fala. Quando você se informa e se aprimora, passa a ter as ferramentas das quais necessita e isso, por consequência, o fará mais seguro.

– Você não se informou o suficiente sobre o assunto principal

Se informar sobre o tema do qual se trata a sua apresentação é de suma importância, inclusive se você já tem o hábito de falar sobre tal assunto com frequência. Por quê? Hoje, com a internet e as tantas tecnologias, o acesso à informação é altíssimo. No entanto, o tempo de vida útil de uma informação é muito reduzido.

O que isso quer dizer? Quer dizer que, a cada minuto, um novo dado pode aparecer e, nas suas apresentações, você precisa oferecer ao público algo novo, algo que as pessoas ainda não saibam.

Por isso, ao se preparar para uma exposição oral, procure saber notícias recentes sobre o assunto, ouça opiniões de especialistas ou de outros especialistas (se você se considera um), mesmo que elas sejam contrárias às suas.

Em resumo: procure esgotar o máximo de possibilidades na hora de se informar! Acredite: esse é um diferencial em apresentações, principalmente para responder perguntas do público ou contra-argumentar com alguém!

– Você não criou um roteiro para a sua apresentação

Criar um roteiro para a sua apresentação é um hábito que impulsionará a sua fala significativamente. No roteiro, o comunicador pode selecionar as informações que quer abordar, organizando-as em temas e subtemas e garantindo que todos eles tenham uma progressão lógica e dialoguem entre si.

O roteiro permite ordenar a sua fala, adicionar ou remover informações e, ainda, estimar o tempo que você dedica para cada trecho, garantindo, com isso, que a sua fala total não esteja nem muito longa, nem demasiadamente curta.

O roteiro também é uma ferramenta para planejar em quais momentos aumentar os níveis de emoção, usar o humor, aplicar pausas ativas e/ou quaisquer outras estratégias para reter a atenção do seu público.

– Você pode estar praticando pouco a sua fala

Com o roteiro pronto, o próximo passo de toda etapa de preparação para uma exposição oral deveria ser: treinar, treinar e treinar. Grandes oradores da história, como o próprio Steve Jobs, mantinham e mantêm o hábito de praticar muitas horas seus discursos e apresentações.

Quanto mais tempo você dedica para essa etapa, mais estará familiarizado com a sua apresentação e melhor será a sua performance nos palcos. Uma boa técnica é se apresentar para familiares ou amigos, pedindo a eles uma segunda opinião. Se não puder, outra alternativa é gravar a sua fala e assistir a ela depois, a fim de verificar se ainda há aspectos a serem melhorados antes do dia da apresentação.

– Você não domina bem a sua linguagem não-verbal

Você fez um roteiro para a sua apresentação, praticou quantas vezes foram necessárias e, ainda assim, a reação do público não foi a que você pensou que seria? Bem, o problema pode estar na forma como você apresentou o seu conteúdo e não no conteúdo em si.

O que isso quer dizer? Quer dizer que pode ser sinal de que a sua linguagem não-verbal não está em harmonia com a sua linguagem verbal. A dinâmica não-falada de uma apresentação tem uma importância enorme e influencia diretamente na imagem que o público terá do comunicador.

Nesse sentido, usar corretamente a sua voz, gesticular com equilíbrio, harmonizar expressões faciais e conteúdo, manter contato visual com as pessoas e, ainda, ter uma boa postura são fatores que precisam estar na sua lista de preocupações e cuidados como comunicador, ok?

– Você não está contando uma história

A forma como as pessoas se comunicam mudou e essa mudança também alterou significativamente o modo como acontecem apresentações em público, discursos e outras situações de exposição de fala.

Hoje, não basta ter dados interessantes e completos sobre algo, é importantíssimo saber contar tudo isso de uma forma envolvente, que compita – de igual para igual – com as muitas distrações às quais estamos submetidos todo o tempo.

Um jeito eficiente para ter falas mais envolventes é contando uma história, inserindo rostos, experiências, trajetórias, sensações em sua narrativa. Dessa forma, o público provavelmente se interessará muito mais pelo que você disser e a relação entre você e sua plateia será mais forte e eficiente.

 

Para lidar com esses e com tantos outros fatores que podem prejudicar uma apresentação em público, a orientação de profissionais apaixonados por comunicação é um diferencial.

Se você se identificou com algum ou alguns dos problemas dos quais falamos e quer encontrar soluções para eles, considere um treinamento em oratória! Te esperamos!

Avalie este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *