Como usar a persuasão na argumentação? 7 ações principais

Speaker!

Você se considera uma pessoa persuasiva? A persuasão é uma habilidade que pode (e deve) ser desenvolvida e aprimorada constantemente.

Relacionada à inteligência emocional, a capacidade de persuasão é determinante em vários aspectos da vida profissional e pessoal.

Como usar a persuasão na argumentação? Na nossa conversa de hoje, trago 7 ações que considero principais para fazer isso e impulsionar o seu poder de fala. Veja quais são elas!

1. Exercite a escuta ativa

Bons argumentadores são, quase sempre, pessoas atentas ao outro, pessoas que sabem ouvir e entendem a importância de escutar ativamente. É por isso que exercitar a escuta ativa é a primeira ação da minha lista.

A escuta focada, interessada, tem uma relevância enorme nas trocas comunicativas.

Primeiro, porque todo mundo ama gente interessada, o que, por si só, quebra barreiras entre você e sua audiência, impactando na imagem que transmite e diminuindo a resistência em relação ao que será dito por você.

Segundo, porque ouvir atentamente significa conhecer o outro, sua trajetória, sua maneira de pensar, dores e desejos. Conhecer a sua audiência, por sua vez, é o que permite desenvolver a melhor abordagem argumentativa e persuasiva.

2. Demonstre empatia

Empatia tem sido uma das expressões mais ditas e repetidas nos últimos tempos e é importante não perder de vista o sentido dessa palavra, especialmente na comunicação. Empatia é, de forma geral, colocar-se no lugar do outro.

Na comunicação, isso tem a ver com o que falamos no tópico anterior: em conhecer o seu público, a sua audiência, as pessoas com quem dialoga. Mostrar que você entende, desde o seu lugar de fala, as vivências dos demais. Isso gera conexão.

Comunicar se trata, sobretudo, de conectar-se com os demais, estabelecer uma relação. Para a persuasão especificamente, esse vínculo acaba sendo determinante e, por isso mesmo, não pode ser subvalorizado.

3. Inove nas técnicas de apresentação

Se você me acompanha aqui, provavelmente já sabe que o como se diz é tão importante quanto o que se diz. Vivemos em um período no qual o online assumiu um grande protagonismo e é preciso competir com tantas distrações.

Para persuadir, é preciso, em primeiro lugar, chamar e reter a atenção do seu público. Na comunicação digital, há uma diversidade de recursos e ferramentas que permitem inovar nas técnicas de apresentação.

Conheça esses recursos, familiarize-se com as plataformas e utilize o digital a seu favor para criar uma apresentação impactante e persuasiva.

4. Utilize a “prova social”

Me arrisco a dizer que nunca se produziu e se consumiu tanta informação como agora. Com poucos cliques, temos acesso a todos os assuntos. Isso aumentou a necessidade de provar o que é dito, de ir além de uma opinião pessoal.

Para ser persuasivo, a prova social precisa ser considerada e incluída. Mas o que ela é? É uma maneira de comprovar o que você está dizendo, seja através da opinião de especialistas, de pessoas que já compraram o seu produto (se for o caso) ou dados.

Inclua um embasamento sólido na sua fala. Não se limite a defender apenas a sua opinião: busque ir além, aproveitando o enorme volume de conhecimento que temos disponível.

5. Domine sua linguagem não-verbal

Um conteúdo sólido, convincente, bem elaborado não é suficiente para usar a persuasão na argumentação. Por que isso acontece? Porque não nos comunicamos apenas através do que dizemos, mas, sim, com todo o nosso corpo.

Se você tiver uma fala contundente, mas demonstrar insegurança através da sua linguagem corporal, o seu poder de persuasão certamente será afetado.

É preciso, portanto, ter a mesma solidez na dinâmica não-falada. Aprenda a gesticular, faça contato visual, saiba como variar as suas expressões faciais e potencie a sua voz. Essas são decisões centrais em qualquer processo comunicativo.

6. Conte a história certa

Contar uma história tem sido um recurso muito utilizado por grandes marcas, líderes, políticos e comunicadores em geral. De fato, o storytelling é uma ferramenta eficiente para argumentar e persuadir, mas desde que usado corretamente.

É aqui que entra o “contar a história certa”, segundo o perfil do seu público, os seus objetivos e, claro, a sua capacidade de se comunicar e ser atrativo ao apresentar a sua narrativa.

O que quero dizer é: storytelling não se resume a contar uma história qualquer, mas aquela que faça diferença e tenha relevância no contexto em questão.

7. Utilize gatilhos mentais

Você provavelmente já escutou a expressão “gatilho mental”. É outro assunto que se popularizou nos últimos meses, em contextos muito diferentes.

De maneira geral, os gatilhos são algo que levam a uma determinada ação, que despertam algum sentimento nas pessoas. Essa não é uma técnica nova, pelo contrário: gatilhos vêm sendo usados há muito tempo, implícita ou explicitamente.

Na persuasão, os gatilhos também têm um papel importante. Vejamos três deles:

– Escassez: muito usado em vendas, esse gatilho também pode ser incluído no storytelling, por exemplo. Poucas vagas, perder para dar valor, edição limitada são exemplos desse gatilho.

– Urgência: o imediatismo é algo comum hoje. Esse gatilho também é eficaz na persuasão, justamente por despertar esse senso de urgência, do “preciso disso agora”.

– Autoridade: aqui, a imagem pessoal tem uma relevância enorme. Para praticar esse gatilho, é preciso mostrar e comprovar a sua autoridade no assunto. Como? Desenvolvendo uma boa mensagem e aprimorando sua comunicação.

Por que desenvolver a persuasão?

Entrevistas de emprego, reuniões, negociações, PITCHs, vendas, arguições. Esses são exemplos claros nos quais a persuasão é explicitamente fundamental, isto é, a capacidade de convencimento é determinante.

Desenvolver a persuasão é um dos passos para aprimorar a comunicação pessoal, transmitir maior autoridade, atuar com liderança e demonstrar inteligência emocional.

Invista em você, na sua carreira e desenvolvimento pessoal. E, claro, conte com a The Speaker nesse processo!