Dicção – Guia prático para desenvolver a sua

Olá, Speaker!

A boa dicção é um elemento essencial para se comunicar com eficácia, afinal, está diretamente relacionada ao quanto uma mensagem é ou não compreensível para a sua audiência.

No entanto, em situações de exposição de fala, alguns dos problemas mais comuns são, justamente, na dicção. Por ver isso acontecer frequentemente, preparei este Guia Prático para desenvolver a sua dicção.

Vamos lá?

O que é a dicção?

Dicção é a forma como você pronuncia as palavras e articula as sílabas. Problemas de dicção interferem, então, na pronunciação correta de letras, sons e expressões como um todo, o que pode afetar significativamente a sua mensagem.

Ao contrário do que muitos imaginam, a dicção não depende apenas da fala em si, mas acontece pela ação dos chamados “órgãos fonadores”: bochechas, arcada dentária, lábios, língua, mandíbulas, ossos e músculos da face.

Saber isso nos permite compreender que, quando há falhas na dicção, pode ser consequência de fatores físicos (ligados a esses órgãos), neurológicos ou emocionais. Em grande parte das vezes, a prática é suficiente para superá-las.

Como desenvolver a dicção: um Guia Prático

Os problemas na hora de pronunciar palavras e sílabas podem se tornar hábitos. Por isso mesmo, identificá-los é um passo central para desenvolver a dicção e impulsionar a comunicação como um todo.

Antes de abordar os passos deste Guia, é fundamental dizer que, na comunicação, as regras engessadas simplesmente não funcionam. Em outras palavras, cada caso tem suas especificidades e é preciso levá-las em consideração.

Dito isso, veja um Guia Prático para desenvolver sua dicção:

Etapa 1. Grave-se em vídeo

O primeiro passo é identificar quais são os problemas de dicção presentes no seu dia a dia. Para isso, simule uma situação de exposição de fala e grave-se em vídeo. Utilize esse material no próximo passo.

Etapa 2: Identifique vícios da fala

Assista criticamente ao seu vídeo, procurando verificar quais são seus vícios da fala: palavras que se repetem em excesso e problemas na pronúncia, principalmente. Isso ajudará a entender um pouco mais sobre sua comunicação.

Etapa 3: Anote problemas de dicção

Agora, enfoque na dicção propriamente dita. Usando o material dos passos anteriores, anote os problemas de dicção que você consegue identificar no seu vídeo. Aqui, a intenção é descobrir padrões de fala para tentar entendê-los e evitá-los.

Etapa 4: Faça exercícios de respiração

A essa altura, você já sabe quais são seus problemas de dicção mais evidentes. Antes de se debruçar neles, é aconselhável exercitar a sua respiração. Caso não conheça, informe-se sobre respiração diafragmática e tente colocá-la em prática.

Etapa 5: Realize leituras em voz alta

Logo após os exercícios de respiração, passe para as leituras em voz alta. Se possível, escolha ler algo que contenha as palavras que você costuma ter problemas ao pronunciar. Faça uma leitura consciente e atenta.

Repita essas 5 etapas semanalmente. No seu dia a dia, tenha atenção à maneira como fala e procure perceber avanços em sua dicção com o passar dos dias.

Etapa 6: Tenha um feedback profissional

O acompanhamento profissional tornará esse processo muito mais otimizado. Com um especialista, você aprenderá técnicas para trabalhar a musculatura facial e outras similares, que podem ajudar a desenvolver sua dicção.

Plus: Ouça podcasts!

Uma das formas de escrever melhor é ler muito. Bem, na fala, o raciocínio é similar. Nós temos a tendência a repetir padrões de fala que escutamos. Logo, escutar podcasts é uma forma de ajudar a moldar a sua própria dicção.

Dicção e comunicação: por que é importante a orientação de um fonoaudiólogo?

Como você viu até aqui, problemas de dicção podem ter causas bem diferentes entre si e estar ligados a fatores emocionais ou físicos, por exemplo. Logo, apenas um fonoaudiólogo poderá entender de onde eles vêm.

Eu sou fonoaudióloga e noto, todos os dias, o quanto é determinante desenvolver a dicção e outros itens da expressão vocal. Um treinamento em comunicação que não trabalha a voz é incompleto e pouco eficaz.

Diante disso, a orientação de um fonoaudiólogo é importante porque:

– Permite identificar as causas dos problemas na fala

– Traça um plano de ação otimizado para o SEU caso em especial

– Aplica técnicas para trabalhar os órgãos fonadores e de respiração

– Tem um feedback confiável e específico

– Permite um acompanhamento da sua evolução

Para desenvolver a sua comunicação como um todo, o processo mais eficiente é fazer um treinamento em oratória que inclua a expressão vocal e tenha o acompanhamento de um profissional da Fonoaudiologia.

Dicção e medo de falar em público: qual a relação entre eles?

O medo de falar em público – e todo o nervosismo que traz consigo – desperta algumas reações físicas e emocionais nas pessoas. Voz trêmula, dificuldades de concentração, “brancos” e também problemas na pronúncia de palavras.

Isso significa que, em muitos casos, as pessoas só apresentam esses problemas de dicção em situações de exposição de fala, justamente quando mais precisavam se comunicar bem e com clareza.

É importante ter em mente, portanto, que lidar com o medo de falar em público também é uma etapa para evitar vícios na fala e alterações na pronunciação de sílabas e palavras. Como fazer isso? Aprendendo sobre oratória e praticando!

Quanto mais informado você estiver, mais preparado sentirá. Isso, certamente, é um passo central para começar a perder o medo de falar em público e evoluir na sua comunicação.

 

Nos nossos treinamentos, a dicção é um dos focos. Seja um Speaker e escolha qual de nossas soluções é a melhor para você. Te esperamos!