Bloqueios de expressividade atrapalham a carreira e a vida pessoal. Como se livrar deles?

Speaker! Tudo bem?

Você já sentiu dificuldades para se comunicar com as pessoas ao seu redor? Ou, em alguma situação específica, como uma reunião de trabalho importante, não conseguiu expressar tudo o que gostaria e que planejou?

Essas situações são aquelas em que acontecem os chamados bloqueios de expressividade, que têm impactos na forma como transmitimos determinada mensagem ou conteúdo.

Um bloqueio de expressividade pode ser quando não conseguimos transmitir verbalmente o que queríamos ou, ainda, que nossa linguagem não-verbal prejudique o conteúdo que estamos comunicando para os demais. De uma forma ou de outra, os bloqueios prejudicam nossa relação com o mundo e podem atrapalhar nossa vida pessoal e profissional.

De que modo o bloqueio de expressividade prejudica a minha comunicação com os demais? Como vencer esses bloqueios e passar a me comunicar melhor?

Neste artigo, vamos falar sobre isso, com informações relevantes sobre este tema e técnicas para que você possa aprimorar sua comunicação e conseguir se expressar da forma como gostaria! Siga a leitura!

Como saber se sofro com bloqueios de expressividade?

A sensação de frustração após uma situação de exposição de fala, seja ela uma reunião de trabalho, uma apresentação em público ou uma entrevista de emprego, é um dos principais sintomas de que houve um bloqueio de expressividade e que não conseguimos atingir nossos objetivos.

Por outro lado, se a audiência não entendeu o que dissemos ou se não foi impactada de alguma maneira pelo que dissemos (mesmo que minimamente), também há sinais de que a nossa comunicação e a forma como nos expressamos não foram as ideais.

O termo expressividade está diretamente relacionado a tudo o que envolve a linguagem verbal e não-verbal. Essa última, especificamente, engloba expressões faciais, gestos, voz, postura e contato visual… Quando se diz que alguém “é muito expressivo”, provavelmente o que se quer dizer é que tal pessoa é uma boa comunicadora.

Por essa razão, é preciso destacar que ser um bom comunicador é algo construído com o tempo. Falar bem não é um dom, como muitos ainda acreditam, mas, sim, uma habilidade que se logra com a prática e a informação. Essa habilidade, inclusive, tem sido uma das mais requisitadas no dia a dia profissional, independente da área à qual nos dedicamos.

Como superar os bloqueios de expressividade?

Trabalhe a autoconfiança

Bloqueios de expressividade têm uma relação direta com a autoconfiança e a forma como encaramos uma situação de exposição de fala. Para muitos, esse tipo de situação é uma oportunidade de defender argumentos e ideias, inspirando a audiência. Para outros, no entanto, são verdadeiros desafios, que, como tais, podem despertar ansiedade e medo.

Para mudar a forma como encaramos situações de exposição de fala, o primeiro passo é nos prepararmos para elas, munindo-nos de conhecimento sobre comunicação e oratória para termos as ferramentas necessárias a esse tipo de contexto.

A preparação prévia, aliada aos conhecimentos técnicos sobre oratória, é a chave para ganharmos confiança e, assim, nos liberarmos da carga emocional que ainda sentimos. Com mais tranquilidade, os bloqueios de expressividade e mesmo os chamados “brancos” tendem a ser muito menos recorrentes.

– Informe-se (realmente) sobre o tema

Ter informação atualizada e relevante sobre o que teremos que abordar durante uma situação de exposição de fala é uma ferramenta para lidar com possíveis bloqueios de expressividade.

Sendo assim, procure se atualizar sobre o assunto, ouça a opinião de outras pessoas – inclusive, se elas forem contrárias às suas –, busque novos dados e tudo aquilo que possa acrescentar qualidade à sua fala.

Informar-se realmente sobre o tema é o jeito mais eficaz de não ser surpreendido com questionamentos ou perguntas, momentos esses nos quais os bloqueios de expressividade costumam aparecer com maior frequência.

– Pratique a sua fala com antecedência

Steve Jobs, um dos maiores comunicadores da história e uma referência na comunicação moderna, dedicava horas para praticar a sua fala antes de uma apresentação em público.

Praticar com antecedência para uma apresentação, uma reunião ou uma entrevista é uma forma de familiarizar com o que queremos dizer, investindo em autoconfiança e deixando poucos espaços para imprevistos, a ressaltar, os bloqueios de expressividade e os lapsos de memória.

Dedique um tempo para praticar a sua fala em voz alta. Ouça a opinião de amigos ou familiares quando possível e verá como esse hábito traz impactos positivos!

– Importe-se com sua linguagem não-verbal

No começo deste artigo, falei que expressividade se refere tanto ao conteúdo falado como à linguagem não-verbal, a dinâmica não falada.

Sendo assim, além de planejar o que iremos dizer, é necessário prestar atenção à forma como iremos falar, trabalhando a gesticulação, o uso da voz, o contato visual e a postura que adotamos quando estamos sob pressão.

O conjunto de ações que compõe a linguagem não-verbal diz muito sobre alguém. Em situações de exposição de fala, quando todos os olhos estão sobre nós, esse conjunto ganha ainda mais relevância e exerce impacto direto na imagem que transmitimos.

– Use a técnica do Mapa Mental

Organizar o raciocínio é essencial para evitar bloqueios de expressividade. Uma das técnicas mais eficientes para isso é o mapa mental, que, a cada dia, se populariza mais.

No mapa mental, o que se faz é pensar em palavras-chave para os tópicos de um determinado conteúdo e atribuir a elas uma imagem que seja fácil de recordar.

Com o mapa mental, se cria um desenvolvimento lógico para uma fala, garantindo que exista uma progressão e que os tópicos abordados se relacionem entre si. Quando isso acontece, não é necessário decorar o que iremos dizer. Pelo contrário: desenvolver o raciocínio e os argumentos passa a ser algo natural, já que tudo está ligado entre si.

 

Aprimorar as habilidades de oratória e saber como aplicá-las no dia a dia é essencial. Se você sofre com bloqueios de expressividade de forma recorrente, considere fazer um treinamento em oratória.

Para saber mais sobre as modalidades de treinamentos da The Speaker, entre em contato com a gente!

 

 

Avalie este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *